Nutrindo a mente: como alimentar o corpo intelectual?

Por Zen App

Tempo de leitura: 3 minutos

De acordo com o senso comum, a palavra nutrição está intrinsecamente ligada a nossa alimentação e corpo. Não está errado. Mas, nutrir também significa ​​ conservar, aumentar, alentar e favorecer. Então, neste sentido é possível nutrir muito mais do que apenas o nosso corpo físico. 

Para ser saudável, a nossa mente também precisa ser nutrida.  

Esse é um conceito que faz parte da filosofia do yoga. Mas que, de modo geral, não é muito conhecido e gera uma série de dúvidas. Por isso, o time do Zen convidou a nutricionista e professora de yoga Débora Gusmão para explicar melhor como alimentar o corpo intelectual no dia-a-dia. 

Será que você está nutrindo sua mente?

De acordo com Débora, que apresenta um programa especial sobre o assunto no Zen App, é essencial nutrir nossos sentidos, emoções e mente.

“Dentro da tradição do yoga nós temos o estudo da anatomia sutil. Que, em resumo, diz que a nossa essência, ou o nosso ser, é constituído por cinco camadas de corpos ou cinco Koshas”.

Ainda segundo explicou no programa, que você pode ouvir clicando aqui, os cinco Koshas são os corpos: 

  • Físico
  • Energético
  • Mental
  • Intelectual
  • Da bem-aventurança (que é a camada mais sutil)  

Numa prática de yoga, a junção dos asanas e pranayamas nos ajuda a atingir todas essas camadas. Então, praticar yoga é uma maneira de nutrir a mente. Mas, não é a única. Alguns cuidados podem ser tomados no nosso dia-a-dia e já vão surtir efeito.

Mas, fique tranquilo, não vai precisar de muito

Já ouviu falar que somos o que comemos? Para o bem da verdade, deveríamos adicionar mais algumas coisas ao ditado. Também somos o que vemos e o que vivemos. Repare: assistir notícias ruins, normalmente, nos deixa para baixo ou com medo e depois de uma briga ficamos por horas ruminando respostas não dadas. 

Esses são alguns exemplos de ações físicas que afetam diretamente nossa mente. E, mais do que isso, causam uma espécie de indigestão. A gente sente esse incômodo no corpo, mesmo que esteja tudo bem com ele. 

Neste sentido, a Débora explica que é possível dizer que estamos nutrindo nossa mente ao: 

  • Começar o dia de modo agradável. Seja ao ouvir músicas que você gosta, meditar ou tomar o café da manhã com calma, por exemplo 
  • Sentir cheiros que te acolham e tragam boas memórias
  • Dar mais atenção às sensações de um abraço carinhoso ou receber uma massagem rápida (pode, inclusive, ser uma automassagem ou escalda-pés) 
  • Observar com atenção as paisagens que fazem parte do seu cotidiano 
  • Comer um prato que amamos

Em resumo, ações simples e que deveriam fazer parte do seu dia. Mas que, muitas vezes, são esquecidas em meio aos compromissos urgentes. Dar tempo para você e se priorizar na sua agenda é uma maneira de nutrir sua mente.

Yamas e niyamas

É importante lembrar que as mudanças de hábitos devem ser feitas aos poucos. Assim você se acostuma sem criar expectativas e frustrações que atrapalhem o processo. Então, vá com calma. E se precisar de ajuda nós já compartilhamos dicas de como inserir novos hábitos na rotina por aqui. É só clicar 🙂

Mas, além de dedicar mais tempo a você, a Débora ainda ensinou outras maneiras de nutrir a mente. No programa ela fala sobre a reflexão das proposições fundamentadas na filosofia do Yoga que são denominadas  yamas e niyamas.

“Os yamas são cinco proposições que nos dizem aquilo que não devemos fazer e os niyamas são cinco proposições do que devemos buscar”. 

Então, vamos começar a nutrir a mente? Clicando aqui, você pode ouvir as explicações detalhadas da Débora sobre como as proposições ajudam a nutrir a mente. E, ainda mais importante, como aplicá-las a nossa vida.  O programa é composto de três conteúdos informativos e meditações focadas no assunto.

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

POR UMA VIDA MAIS ZEN
Dicas, inspirações
e novidades!
Experimente o zen por 7 dias
grátis!
Quero testar!