Cansaço e burnout: sinais de que você precisa desacelerar

Por Zen App

Tempo de leitura: 2 minutos

Burnout não é o mesmo que cansaço. 

O alerta foi feito pela psicóloga Luciene Bandeira no webinário Saúde mental nas empresas: como o RH precisa atuar?”. E veio seguido de uma instrução: apesar de não ser apenas um cansaço, é importante termos percepção do nosso corpo e respeitarmos nossos limites. Assim, evitamos chegar em um quadro mais severo. 

Como é o caso do burnout.

Mas, em meio a tantas demandas de trabalho, metas e desafios, a gente pode acabar não percebendo que excedeu o limite. E acabar ignorando os diversos sinais que o nosso corpo dá em casos de cansaço e burnout.  

Pois, sim, o nosso corpo está o tempo todo se comunicando com a gente. 

Cansaço e burnout

Antes de mais nada, vamos a uma breve explicação das diferenças entre cansaço e burnout. De acordo com a Luciane, o cansaço é uma das muitas etapas que levam um paciente ao burnout. Normalmente, essa jornada também tem tensão emocional e estresse crônicos. 

Para receber o diagnóstico de burnout, é necessário que haja: 

  • Exaustão (física, emocional ou mental)
  • Despersonalização (quando as coisas/pessoas perdem o sentido)
  • Perda significativa de produtividade 

Se acaso você se sente assim, o ideal é buscar ajuda médica. Mas, se só está casado, desacelerar e rever as prioridades deve te ajudar a resolver o problema. 

Esses são os sinais de que você precisa desacelerar 

Para não restar dúvidas, listamos alguns sinais que nosso corpo sempre emite quando está próximo ao limite. Repare se: 

  • Você tem oscilações de humor constante
  • Acorda várias vezes durante a noite
  • Está sempre com dores, seja nas costas, pernas pés ou outras partes do corpo
  • Perde a concentração e esquece o que ia fazer ou falar
  • Fica doente com frequência 

Todos esses são sinais de cansaço. Assim como queda de cabelo e aparição de acne. Não significa que você terá burnout, mas sim que o ideal é rever a sua rotina e desacelerar um pouco.

Ações simples que vão te ajudar a se sentir descansado 

Não é apenas tirar férias ou simplesmente mudar de trabalho. Aqui o ponto é aparar os excessos e encontrar um ritmo que você dê conta. 

+ Como a meditação pode evitar casos de burnout

Entenda, por exemplo, se a frequência das atividades que fazem parte da sua rotina não é exagerada. Você pode, por exemplo, passar a fazer atividade física três vezes por semana e mudar as aulas de inglês para duas aulas de uma hora no lugar de uma aula de duas horas. Além disso, é importante ter uma agenda e organizar seus compromissos de maneira balanceada. 

Não faça tudo pela manhã ou acumule as coisas para os últimos dias da semana. E não se programe sem descansos. 

Ter uma alimentação balanceada também fará diferença. E meditar também pode te ajudar neste sentido. É importante descobrir o que faz relaxar. E ter em mente que se houver dificuldades, o ideal é buscar ajuda de um profissional.

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

POR UMA VIDA MAIS ZEN
Dicas, inspirações
e novidades!
Experimente o zen por 7 dias
grátis!
Quero testar!